Mais de 100 jovens atletas do Judô disputam vagas para Jogos Escolares da Juventude

A etapa das modalidades individuais dos Jogos Estudantis de Alagoas (Jeal) continua a todo vapor. No início da semana, o Cepa recebeu as disputas do tênis de mesa, wrestling e judô. Esta última modalidade reuniu 126 atletas de 32 escolas públicas e particulares, da capital e interior, que entraram no tatame em busca de uma vaga para os Jogos Escolares da Juventude (JEJ), que acontecem no mês de novembro em Blumenau, Santa Catarina.

O coordenador de modalidade e presidente da Federação Alagoana de Judô (Faju), Antônio Milhazes, aprova o nível dos atletas na competição e torce para que o quantitativo de participantes cresça a cada ano, considerando os benefícios que esporte proporciona.

“Não só o judô, como toda a prática desportiva, é salutar. O grande celeiro de atletas de ponta, de grande rendimento, está dentro da escola, então acho que é uma filosofia muito interessante se trabalhar o atleta dentro da escola, isto evita uma série de exposições a influências negativas”, avalia Milhazes.

Celeiro de talentos – Com experiência na identificação e desenvolvimento de grandes atletas nesta modalidade, o professor Ricardo Sérgio Santos, aposta na semeadura de novos talentos, e, ao longo dos treze anos de existência do projeto de judô da Escola Estadual Theonilo Gama, no Jacintinho, descobriu talentos – alguns até convocados para seletivas da seleção brasileira – inspirou e transformou a vida de seus alunos.

Neste Jeal, a equipe masculina venceu a modalidade juvenil, conquistando o 21º título da escola na competição – 11 no infantil e 10 no juvenil. Dentre os destaques ouro para os judocas Israel Luiz Barros (categoria Meio Médio), Wendell Cauã Silva (categoria Leve) e Luiz Felipe Alves (categoria Super Ligeiro). Recentemente , Felipe também foi bronze no Brasileiro de Judô no Rio de Janeiro.

“Estamos hoje com um trabalho em quatro escolas de ensino integral: no Theonilo Gama, no Princesa Isabel, como disciplina eletiva, no Teotônio Vilela e Vitorino da Rocha, ambas de ensino fundamental, nesta última com a maior quantidade de alunos e muitos com talento,  mas que não puderam participar do Jeal por ainda estarem abaixo da idade, entre 8 e 10 anos. Na Escola Afrânio Lages, o trabalho será desenvolvido a partir do próximo ano”, pontua.

Atletas orgulhosos – Os campeões da modalidade eram só alegria pela conquista. “É um orgulho para mim, por seu o meu primeiro Jeal, e para minha família. Vinha lutando e ainda não tinha ganho medalha e saí de casa motivada, dizendo: vou chegar no Jeal e dar o meu melhor. O apoio da torcida me motivou ainda mais”, declara Letícia Silva, da Escola Agrícola São Francisco de Assis, de Junqueiro, campeã da categoria Leve infantil.

Nívea Silva, da Escola Municipal Santa Luzia de Siracusa, de Santa Luzia do Norte, já tem experiência de campeonato brasileiro e promete dar o seu melhor nos Jogos Escolares. “Temos que chegar confiantes, mas sem subestimar os adversários, porque cada competição é única. Agradeço à minha equipe, a todos que torceram por mim, aos meus professores e prometo representar bem Alagoas nos Jogos Escolares”, comemora Nívea Silva, campeã do meio leve infantil.

A troca de experiências também é valorizada pelos atletas. “Incrível, por ser o primeiro Jeal, ganhar medalha de ouro. Tinha várias pessoas aqui que eu não conhecia, outras já competiram contra mim ou treinam comigo. Para mim, esta experiência é muito importante, pude observar a competição, os atletas mais experientes, sempre aprendo com todos”, confidencia Maria Luíza Santos, da Escola Estadual Rosalva Pereira Viana,  de Maceió, campeã  da categoria super ligeiro infantil.

Outro estreante pé-quente foi o medalhista Israel Dules, da Escola Santa Catarina, de Arapiraca. Bronze no Brasileiro 2019 na sua categoria, ele fala como o judô tem transformado sua vida. “A competição foi muito boa. Estou muito feliz por representar Alagoas pela terceira vez. Há cinco anos eu estou no judô, treino de 4 a 5 vezes por semana e o esporte mudou praticamente tudo, meu comportamento, estou mais tranquilo”, afirma o campeão da categoria ligeiro infantil.

Escolas campeãs – Além dos atletas, as escolas participantes também foram premiadas pela sua classificação geral na competição.

Além do 21º título da Escola Estadual Theonilo Gama, a modalidade teve como destaque a demonstração de força do judô de Arapiraca, com a Escola Santa Catarina (Elba Brito Valença) vencendo as categorias feminino e masculino infantis e o segundo lugar do juvenil masculino, enquanto a Escola Estadual Professora Izaura Antônia de Lisboa (Epial) foi a campeã do juvenil feminino e a Escola Estadual Rotary ficou em terceiro lugar nesta mesma modalidade. Já a Escola Estadual Moacir Teófilo, de Arapiraca, foi terceiro lugar no infantil masculino.

De Campo Alegre, a Escola Municipal Monsenhor Hildebrando Veríssimo Guimarães foi terceiro lugar no juvenil masculino e infantil feminino, enquanto as escolas municipais Santa Luzia Siracusa, de Santa Luzia do Norte, Professora Medea Cavalcanti, da Barra de São Miguel, foram vice-campeãs do infantil feminino e masculino, respectivamente. Já a Escola Estadual Antônia Macedo, de Palmeira dos Índios conquistou o segundo lugar do juvenil feminino.

Ascom – 28/08/2019

(Visited 3 times, 1 visits today)